Olá!

Seja bem vindo ao Geofácil.








Este blog foi desenvolvido para o trabalho da disciplina de Geografia e áreas afins com estudantes do Ensino Básico. Caso necessite de algum gabarito ou outras informações, o e-mail é sergiogta2007@hotmail.com

Que Deus abençoe poderosamente a sua vida



Seguidores

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Atividades Sobre a Questão Agrária no Brasil

01- (UFRGS) O Estatuto da Terra, elaborado em 1964, criou a unidade de medida Módulo Rural. O imóvel rural com área superior a seiscentas vezes o módulo rural médio fixada para uma região denomina-se:
a) Minifúndio;
b) Latifúndio por dimensão;
c) Latifúndio por exploração;
d) Empresa rural;
e) Latifúndio por especulação;

02- (Mack – SP) Assinale a alternativa correta sobre a estrutura fundiária do Brasil:
a) Os latifúndios representam os menores percentuais da área ocupada.
b) Os minifúndios e as médias propriedades representam mais de 80% do numero de estabelecimentos agrícolas;
c) Tanto em área ocupada como em numero de propriedades predominam as empresas rurais;
d) Considerando o número de propriedades, predominam os latifúndios;
e) Considerando a área ocupada, predominam os minifúndios;

03- (Univales – RS) No Brasil, o acesso a terra e seu uso sempre foram temas explosivos. Na década de 1950, foram as Ligas Camponesas que surgiram no Nordeste e chamaram a atenção do mundo. Hoje, é o MST que movimenta o país. Esses movimentos denotam que no Brasil:
a) A estrutura agrária é dominada pelo latifúndio, o qual muitas vezes se encontra improdutivo.
b) A procura pela terra demonstra a vocação agrária do brasileiro e a pouca terra disponível para a agropecuária.
c) O acesso à terra sempre foi democrático, por isso surgiram esses movimentos reivindicatórios.
d) A grande queda na produção industrial verificada nos últimos anos levou o homem a lutar pela posse da terra.
e) A produção agrária é muito valorizada;

04- (Enem) A grande produção brasileira de soja, com expressiva participação na economia do país, vem avançando nas regiões do cerrado brasileiro. Esse tipo de produção demanda grandes extensões de terra, o que gera preocupação, sobretudo:
a) Econômica, porque desestimula a mecanização;
b) Social, pois provoca o fluxo migratório para o campo;
c) Climática, porque diminui a insolação na região;
d) Política, pois deixa de atender ao mercado externo;
e) Ambiental, porque reduz a biodiversidade regional;

05- Dos produtos agropecuários elencados abaixo, assinale aquele que não faz parte da pauta de exportações brasileiras:
a) Soja;
b) Café;
c) Laranja;
d) Trigo;
e) Carne;

06- (UFV-MG) “Tem muita gente sem terra, tem muita terra sem gente” (Cartaz do MST, inspirado nos versos de lavradores de Goiás).
A luta pela terra no Brasil existe há décadas e já fez várias vítimas entre trabalhadores do campo, religiosos e outros. Entre os principais razões dos conflitos de terra no Brasil, pode-se citar:
a) A disputa pelas poucas áreas férteis em nosso território, típico de terras montanhosas.
b) A perda do valor da terra agrícola pelo crescimento da industrialização no nosso país.
c) A divisão excessiva da terra em pequenas propriedades, dificultando o aumento da produção.
d) A concentração da propriedade da terra nas mãos de poucos e a ausência de uma reforma agrária efetiva.
e) A utilização intensiva de mão de obra permanente, onerando o grande produtor rural.

08- (Fuvest-SP) As alternativas seguintes descrevem características de personagens da estrutura agrária brasileira. Indique a correta.
a) Posseiro: pessoa que se apropria ilegalmente de terras e apresenta título falsificado de propriedades.
b) Gato: trabalhador organizado em busca de acesso à terra.
c) Latifundiário: proprietário de grandes extensões de terras.
d) Sem-terra: trabalhador rural que tem posse da terra, mas não o documento de propriedade da terra.
e) Grileiro: pessoa que contrata trabalhadores braçais como mão-de-obra para as fazendas ou projetos agropecuários.

09- (Unifesp) Está correto afirmar que a agricultura brasileira:
a) Recebeu capital internacional nos últimos anos, resultando em um aumento da exportação de grãos.
b) Desenvolveu-se em pequenas e médias propriedades, resultando em um modelo de produção competitivo com os países europeus.
c) Não recebe subsídios fiscais, resultando no aumento do custo de produção e na perda de mercado internacional.
d) Está baseada no extrativismo, resultando na formação de cooperativas de pequenos proprietários.
e) Não sofre influencias da estrutura agrária do país, resultando não produção de alimentos nas áreas agricultáveis de todo o país.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

INDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL (2)

01- (IFPA) Durante o Estado Novo (1937-1945), foram criadas as bases necessárias para o desenvolvimento industrial brasileiro a partir dos anos 50. O Estado tornou-se o grande investidor na indústria de base, criando empresas que foram fundamentais para o surto industrial posterior. Entre essas empresas, destacamos o (a):

a) Eletrobrás

b) Banco Central

c) Companhia Siderúrgica Nacional

d) Banco do Brasil

e) Petrobras

02- (UESPI) O desenvolvimento industrial brasileiro, que teve início no final do século XIX, ocorreu de forma desigual nas diferentes regiões do Brasil, pois houve uma concentração da atividade industrial, particularmente, nos Municípios de São Paulo e Rio de Janeiro. Dentre outras razões, explicam esse fato:

a) a formação de um mercado externo na região Sudeste e a criação de casas de importação por emigrantes estrangeiros.

b) o domínio da cafeicultura no Sudeste, a conseqüente acumulação de capital e a imigração estrangeira que se dirigiu para essa região.

c) o domínio da mineração em São Paulo e a fundação de casas de exportação que tinham como objetivo abastecer o mercado brasileiro de produtos nacionais.

d) o desenvolvimento de empresas de extração mineral em São Paulo, que permitiu a acumulação de capital, e o conseqüente fluxo de emigrantes que para lá se dirigiu.

e) a abolição da escravidão e a concentração da população na região Sudeste, fato que estimulou a criação de casas de importação.

03- (UFOP) Juscelino Kubitschek assumiu a presidência do Brasil em 31 de janeiro de 1956. Seu governo foi marcado pela ênfase na necessidade de promover o desenvolvimento econômico sem criar o risco de perturbar a ordem social, embalado pelo otimismo do lema “cinquenta anos em cinco”. A política econômica do governo JK, voltada para os transportes, a educação, a produção de alimentos, o desenvolvimento da indústria de base e a construção de Brasília, foi definida em um documento que sintetizava 31 objetivos. Marque a opção que contém o nome desse plano.

a) Plano de Metas

b) Plano Collor

c) Plano Cruzado

d) Plano Piloto

04- (Mackenzie, modificada) A respeito do processo da industrialização brasileira, é correto afirmar que

I. Ocorreu de forma tardia, tendo por base o processo de Substituição de Importações.

II. Seu maior pólo, a partir dos anos 1920, foi São Paulo devido à infra-estrutura advinda da economia cafeeira.

III. O primeiro e principal meio de transporte industrial foi o automotor, favorecido por eficiente malha rodoviária, que dinamizou a circulação dos mercados desde o início da economia cafeeira. IV. Através dele, o êxodo rural foi intenso, transformando cidades, como São Paulo, em grandes centros metropolitanos.

Estão corretas,

a) apenas, I, II e III.

b) apenas, II, III e IV.

c) apenas, I e IV.

d) apenas, I, II e IV.

e) I, II, III e IV.

05- (Ufpi) Sobre o processo de industrialização no Brasil, analise as afirmações a seguir:

I. Até a década de 1930, não se desenvolveu uma política de industrialização, pois as atenções estavam voltadas para o setor agrário-exportador.

II. Um período importante para o desenvolvimento industrial ocorreu após 1945, com o início da crise da cafeicultura brasileira.

III. Após 1950, o desenvolvimento se fez com grande participação de capitais estrangeiros, iniciando-se a internacionalização da economia do país.

IV. Os governantes militares, após 1964, interromperam o processo de internacionalização, principalmente pela abertura política e democratização do país.

Está correto o que se afirma em:

a) I e II

b) I e III

c) II e IV

d) I, II e III

e) II, III e IV

06- (Ufjf) O setor de leite e derivados, de longa tradição em Minas, é responsável por mais de 30% da produção brasileira. A Itambé (Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais), maior empresa do ramo, em meados de 2000, anunciou que estudava a transferência de sua produção para Goiás, onde mantém duas fábricas. Alegava que o governo de Minas cobra 7% de ICMS sobre o leite longa-vida, ao passo que o estado de Goiás oferece isenção de 80% para o mesmo produto. Fonte: Adaptado de http://www.scielo.br/scielo Este processo envolvendo diferentes interesses de agricultores e empresas, cuja atribuição é de responsabilidade dos governos estaduais, recebe o nome de:

a) guerra fiscal.

b) tarifa aduaneira.

c) isenção de imposto de renda.

d) taxa de câmbio.

e) guerra fria.

07- (Uerj) O mundo vem assistindo a uma revolução no setor produtivo que tem sido chamada de terceira Revolução Industrial ou Revolução Técnico-Científica (Revolução Tecnológica). A plena inserção brasileira nesse contexto enfrenta um sério obstáculo, que é

a) a grande extensão do território nacional, encarecendo a produção tecnológica.

b) o distanciamento geográfico do Brasil em relação aos principais centros tecnológicos.

c) a incompetência tecnológica nacional no setor agrário - exportador.

d) o exagerado crescimento brasileiro no setor da indústria de consumo.

e) a limitada capacitação técnico-científica da produção nacional


08- (UEMA) São indústrias de ponta na terceira Revolução Industrial:

a) metalúrgica – construção civil – naval.

b) petroquímica – automobilística – siderúrgica.

c) elétrica – eletrônica – têxtil.

d) informática – microeletrônica – biotecnológica.

e) alimentícia – de bebidas finas – de cosméticos.

Mato Grosso